terça-feira, 26 de outubro de 2010

5

Luxa barra evangélico no Flamengo

Desde que chegou ao Flamengo, Vanderlei Luxemburgo mudou o time, testou jogadores, conseguiu duas vitórias e dois empates e fez uma barração religiosa: o técnico suspendeu os cultos evangélicos que eram realizados nas vésperas dos jogos no Rio, quando o Pastor Fernando, da comunidade evangélica Até Aqui Nos Ajudou o Senhor, fazia uma roda de oração com palavras motivacionais no hotel que serve de concentração para o time. Com isso, o encontro agora acontece numa igreja e com o auxílio da tecnologia, com mensagens de texto de celular e através da internet.

"Quando muda o técnico, os jogadores pedem autorização. O Diego (Maurício) chegou a falar com o Isaías (supervisor de futebol)... O Vanderlei disse que liberando a presença de um pastor, daqui a pouco vão querer levar pai de santo, padre... Eu entendi, ele foi coerente, quis organizar", afirma o pastor Fernando.


O veto acontece justamente no momento em que mais jogadores passaram a buscar conforto e apoio nas palavras de Deus e conversas motivacionais. Juan e Correa são os novos integrantes do grupo, que já contava com Marcelo Lomba, Diego Maurício, Diogo, Paulo Vitor, Deivid e Val Baiano, entre outros. Na base da fé e da confiança que ganhou de Luxemburgo, Val Baiano fez gols e desencantou.

"Os encontros estão acontecendo na igreja. Depois do culto, reservo um momento em separado para os jogadores do Flamengo, com orações e conversa", afirma o pastor.

Apesar da proibição de Luxemburgo, o religioso não cria polêmica e elogia o treinador rubro-negro. "Ele é o cara, um fera, técnico de verdade mesmo", afirma Fernando.

Além dos encontros na igreja, o pastor troca mensagens pela internet e SMS de celulares com os jogadores. "Às vezes, quando eles estão no ônibus da delegação indo para o jogo, mandam um SMS dizendo que estão com Deus", destaca o pastor.

Os jogadores que buscam forças na palavra evangélica costumam escrever mensagens religiosas no Twitter para propagar sua fé. Mas o pastor Fernando faz um alerta. "Digo que não tem essa de Deus faz tudo... os jogadores têm que fazer a parte deles", ressalta.

Fonte: Portal Terra

5 comentários:

Julio Cesar Giordani de Souza disse...

Realmente é um absurdo misturar o esporte com fanatismo religioso, cada um tem o direito de seguir a religião que lhe convêm, entretando misturar trabalho com religião é no mínimo falta de bom senso. Atitude correta a do Luxemburgo !

Pedro Mainardes disse...

Atitude correta do Luxemburgo (2). Como diria Luc Ferri, se liberar pastor, tem que liberar até Pajé. Além de que em campo, vai faltar espaço para tantas crenças distintas.

Acho muito legal os fiéis irem a igreja antes dos jogos. Mas as diferenças devem ser respeitadas.

Muito legal também a atitude do Pastor Fernando em compreender a atitude do treinador.

Um abraço

Joabe Pinheiro disse...

é ... só com muita reza pro meu Flamengo sair dessa situação

jose christian disse...

Em nome do senhor Jesus Cristo.
Vão cair para a segunda divisão. Vamos orar por isso.

Casa disse...

Depois dos cultos eles recolhiam o Dizimo na bilheteria?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...